terça-feira, julho 03, 2007

Em Brasília, 10 é 9 horas...

Em Brasília, há mais coisas entre o chão e a terra do que imagina nossa vã filosofia ou que o Cindacta possa controlar .
Por exemplo, o caso de lá ser sempre alguma hora diferente das que nos atingem, meros cidadãos.
A "Voz do Brasil" teve locutores que locutavam a frase "em Brasília, dez é nove horas". Alguns incautos cidadãos achavam que Brasília sempre era uma hora mais cedo, dai a razão de que nenhuma notícia na "Hora do Brasil" pareça realmente noticiável, ou por ser vencida ou por não trazer a versão do "outro" lado da notícia.
Além do tremendo trabalho (claro, em Brasília alguém trabalha, mesmo que sejam os redatores da Hora do Brasil que têm 23 horas por dia para colorir demasiadamente falas de ministros, deputados, senadores e presidente) que deve dar espremer "notícia" de restos tão desprezíveis de falas tão inexpressivas, também não é fácil ficar no ar por uma hora com desculpas tão indesculpáveis, o que não deixa de ser um trabalho de valor da Radiobrás.
Pois bem, em Brasília é 7h da noite. Porque 7h da manhã é hora de falar com o presidente, em programa gravado, claro.
E assim, parece que lá em Brasília, na Brasília do governo (é que tem uma Brasília cheia de gente - e olha que essa tem mais que 4 lugares além do motorista), as horas, além de não se saberem se são as mesmas, parecem estar mortas. E nas horas mortas, enqüanto pacatos cidadãos dormem ou mesmo trabalham, locupleta-se em minutos sobre o que pesará sobre a nação por anos, além do que nos é infringido há séculos já, desde antes de Brasília.
Governar é um jogo.
Um jogo de armar.
De armar o desarme,
de quem nem pode se defender.
E sigo cantando, enqüanto não ouço a voz que diz que lá, é um lugar onde não estamos.

Um comentário:

Faê disse...

O texto original, no blog da empresa, falava em Hora do Brasil. Qum mo corrigiu, de saudosa e ainda apaixonada memória, foi o Colombo, Jota Ponto Drumond...